Esqueci minha senha

Cadastre-se

e leia a Crítica da Economia

Últimas notícias:

Breaking Bad Temp.1 Ep.12 O Pêndulo de Istambul

NOVO BOLETIM DA CRÍTICA SEMANAL (Breaking Bad Temp. 1 Ep.12 O Pêndulo de Istambul 4ª Semana Julho 2016) "Afinal, a Turquia fica na Europa ou na Ásia? Depende. Neste caso bem particular da ordem política internacional a geografia é altamente variável. Uma hora a Turquia é Euratlântica, outra hora é Eurasiática. Esse pêndulo é demorado. E decisivo. Quando muda de lado faz muito estrago no jogo imperialista. Ou, quando este jogo começa a mudar, ele se acelera. Como sucede desde a primavera árabe até início da guerra na Síria. É claro que o que a Turquia faz ou deixa de fazer depende primeiramente dos seus problemas econômicos e sociais domésticos. Quer dizer, da luta de classes, como em todo lugar. Mas depende mais do que ninguém do humor e das movediças decisões das potências militares. Dos EUA e da Rússia, puxando a fila. É nesta riquíssima relação orgânica entre luta de classes nacional e geopolítica global que aconteceu na sexta-feira (15) um mirabolante golpe de Estado na Turquia. A ordem imperialista no Oriente Médio e adjacências não será mais a mesma que vigorou até este final de semana" LEIA BOLETIM COMPLETO. Leia Mais

Comércio internacional em tempo real: confirma-se tendência de profunda deflação mundial

Para onde está indo o comércio internacional neste exato momento? A Organização Mundial do Comércio (OMC) ainda não publicou nem os dados consolidados do segundo trimestre/2016. Mas já publicou na data de hoje, 08/Julho/2016, seu relatório mensal denominado Word Trade Outlook Indicator (WTOI) A forte deflação dos preços ocorrida no primeiro trimestre de 2016, que salientamos em recente boletim, se manteve e se aprofundou nos trimestres seguintes, puxando para baixo e com maior força o volume do comércio mundial. Isso seria um dos principais fatores de abrupta interrupção da produção industrial mundial e início da nova crise.

Europa Armada

Brasil: burguesia desvairada


Correspondência Internacional

A Crise e a Crítica

Conferência de José Martins na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Instituto de Estudos Latino-Americanos (IELA), em 23/junho/2016. Assista ao novo vídeo - no canto de baixo desta home page, seção de Vídeos - em que nosso redator JOSÉ MARTINS discorre sobre a atualidade da teoria econômica dos trabalhadores (Marx e Engels) nos dias atuais expressa na dinâmica da economia e das correspondentes crises periódicas de superprodução de capital. ● o que é crise econômica ● valor, moeda e produção de capital ● fatores endógenos das flutuações e crises capitalistas ● flutuação dos preços de produção e de mercado no ciclo econômico ● superprodução de capital e limites da política econômica ● crises parciais e crises gerais (catastróficas) ● guerra mundial e revolução. Leia Mais


Diário do Capital - Europa

Breaking Bad (Temp.1 Ep. 10) Comércio internacional, valor e luta de classes.

"Os índices de deflação das exportações da França apontam milimetricamente que na próxima crise os problemas de sobrevivência dos seus capitalistas e demais parasitas da pátria serão significativamente mais difíceis de serem enfrentados que na Alemanha e Japão. Problemas que já se antecipam e explodem nas ruas e na ordem do dia da tradicional democracia francesa. O Estado reforça seu arsenal de guerra contra o proletariado. Mesmo antes da detonação da crise global que se aproxima o governo francês já mostra suas armas para salvar a propriedade privada, o Estado e o capital. Não se trata – como as almas boas da esquerda poderiam imaginar – de um governo fascista ou de uma idiota direita qualquer. Tão nobre tarefa exige agentes mais eficientes. Os velhos socialdemocratas salvam os parasitas. Assim, a chamada “loi travail” ... [leia o texto completo na Critica Semanal da Economia] Leia Mais


Diário do Capital - Europa

Novo boletim da Crítica "Observações acerca da produção mundial de alimentos"

A espécie humana precisa produzir cinco vezes mais do que atualmente para se reproduzir. Para alcançar esse objetivo bastaria que as sete maiores economias produtoras de alimentos do mundo produzissem com a mesma produtividade agrícola (produção por habitante) que a agricultura dos EUA, economia de ponta do sistema. Enquanto nos EUA a produção agrícola per capita (318,9 milhões de habitantes) alcança 1,61 toneladas por habitante, na média mundial (7,5 bilhão de habitantes) alcança míseros 0,33 ton. Quer dizer, a produtividade média mundial é de aproximadamente um quinto da estadunidense. Esta é uma importante arma de dominação imperialista dos EUA sobre o resto do mundo, incluindo as demais economias dominantes da União Europeia, Japão, etc. E quanto mais eles se utilizam desta técnica superior e se apropriam do superlucro no comércio internacional mais travam ou destroem a agricultura dos seus concorrentes. Leia Mais


Correspondência Internacional

A Fome na Europa

(Raquel Varela, de Lisboa) Há 3 milhões de pessoas em Portugal com fome e carências alimentares. Estamos aqui a falar de deficiências de nutrientes, proteínas, minerais etc. Se olharmos para o acesso a alimentação de qualidade – peixe fresco, alimentos orgânicos etc. – o cenário coloca em «alimentação saudável» uma parte minoritária da população. A fome propriamente dita – calórica ou nutricional, falta de calorias ou de nutrientes -, em Portugal atinge cerca de 1/3 da população. Leia Mais


Realpolitik - EUA

Vinte maiores exércitos do mundo: nova classificação

A eclosão da próxima guerra mundial depende primeiramente da profundidade dos choques econômicos globais. E se desenrolará sobre uma precisa divisão internacional de potências militares nacionais e regionais. A classificação dos maiores exércitos do mundo antecipa os “pontos quentes” da geografia e da economia da próxima guerra. Vale a pena conferir a classissificação atualizada deste sinistro campeonato. Leia Mais


Diário do Capital - Brasil

O que vem depois do golpe

O problema, agora, é saber se o governo pós-golpe garantirá a governabilidade burguesa. Mais uma vez, depende da economia. Do mesmo modo que as condições políticas, os problemas econômicos brasileiros a serem enfrentados pelos capitalistas nos próximos anos apresentam ingredientes novos. Altamente corrosivos. Leia Mais


Últimas notícias

Mais lidas

Livraria

Aguarde próximos lançamentos.

Cursos

Aguarde agenda de cursos.